Ufal e Sociedade 170 - Riscos ambientais

O Arquiteto e urbanista, Dilson Ferreira, fala sobre os riscos da armazenagem de ácido sulfúrico no Porto de Maceió
Ufal e Sociedade 170 - Riscos ambientais

Recentemente, no dia 7 de junho, em plena semana do meio ambiente, foi realizada uma audiência pública no Porto de Maceió para apresentar a proposta da Timac Agro de instalar uma Unidade de Recebimento e Estocagem de Ácido Sulfúrico no terminal que foi adquirido pela empresa em 2020.

O tanque que a empresa pretende construir tem capacidade de 8 mil toneladas ou 4.350m, com diâmetro de 17,15m e altura de 19,30m. Lembrando que o terminal comprado pela Timac Agro foi adquirido em leilão com lance de R$ 50 mil, o valor de um carro popular. A multinacional francesa, que fabrica e comercializa fertilizantes, possui fábricas nas cidades de Candeias (BA), Rio Grande (RS) e em Santa Luzia do Norte (AL).

Na entrevista, o professor Dilson Batista Ferreira, que é arquiteto e urbanista, com mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente e doutorado em Energia, explica os motivos pelos quais se posiciona contrário à licença ambiental para que essa grande quantidade de ácido sulfúrico seja armazenada no Porto de Maceió. “É uma Área de Proteção Permanente que ficará exposta ao grande risco de vazamento, trazendo danos irrecuperáveis para o ecossistema e para a saúde das pessoas”, alerta o pesquisador.

Edição de áudio: Edilberto Sandes (Brother)